don't worry child
home fask drafts authors songs
Humor negro é precisar curar a saudade provocada pelo veneno irônico e melancólico de desejar a mais doce presença - que nunca tive - de todas que eu amei. Gabito Nunes
“Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta. Nunca tive muitos freios em matéria de sentimento. Sempre que eu quis ir, fui. Muito me estrepei. Sempre que quis falar, falei. Muito me ralei. Aprendi um pouco a calar, a tentar respirar fundo e pensar.”
Tati Bernardi.  (via sou-inseguro)

“Se apaixonar é normal”. Normal é tomar uma xícara de chocolate quente em dias frios, é correr na chuva em uma tentativa falha de não se molhar. Normal é quebrar um braço, rir até chorar ou beber até cair. Se apaixonar é loucura.”
carpejar.  (via cissuras)

#p
“Você me faz esquecer a hora, o agora, o outrem, quando vem de surpresa e me toma para si sinto bailar em seus braços, meu coração bate forte, meu sorriso fica incontrolável, você me faz um bem que não imagina o quanto; amo o jeito que me chama, nega seus ciúmes e se declara sem dizer direito o que sente tentando esconder de ti o que nós dois sabemos que existe, que tem vida dentro de ambos. Seu silêncio devora minha paz, mas quando vem tudo fica bem. Somos tão parecidos que não me surpreende sermos apenas um.”
Verseto. 

“Todo mundo tem suas manias, eu tenho as minhas. Mania de mexer no cabelo de 5 em 5 minutos, falar alto, encarar quem me olha demais. Mania de pensar demais em você, de acreditar em horas iguais, mania de ficar imaginando coisas antes de dormir, mania de rir por bobeira e de chorar de nervoso, aliás, mania de chorar por tudo, mania de escutar uma música e ficar me imaginando nela, mania de mudar de humor constantemente, mania de ver minha vida como se fosse um filme, na maioria das vezes um conto de fadas que ainda vai ter um final feliz, mania de ter medo de tudo, de falar o que eu sinto e de te perder. Mania de pensar no que já fiz, mania de repeti-las mesmo que me arrependa. Mania de precisar ter você do meu lado.”
Tati Bernardi. 

#p
“Não quero uma história de cinema, onde existe esse tal de casal perfeito. Eu não quero uma felicidade de mentira só pra mostrar status. Eu quero mãos dadas, cafuné e colo. Quero viagens, loucuras e parceria. Quero coração batendo forte, e falta do que falar. Quero amor, quero amar. Quero um eu, com você. Quero eu e você formando esse tal de nós. Quero tudo o que você quiser me dar. Mas eu só quero com você.”
Quer recomeçar comigo? 

“Sabe o que o amor próprio tem de bom? Além de ser grátis ele não te machuca.”
Diego Castro. 

“Tá tão difícil pra você também, né? Com o coração vazio, mas sempre de pé, buscando alguma direção. Quantas vezes você me escreveu e não mandou, pegou o telefone e não ligou… Partiu seu próprio coração. E eu tenho uma má notícia pra te dar, isso não vai passar tão cedo, não adianta esperar. Às vezes ficamos bem, mas depois vem o desespero, eu tento esconder, mas vi que pensei em você o dia inteiro. Mas sempre haverá uma data, palavra, um olhar, um filme uma música, pra te fazer lembrar. Um perfume, um abraço, um sorriso, só pra atrapalhar, só pra te fazer lembrar de mim.”
Lucas Lucco.  

“Talvez haja alguma coisa que você tem medo de dizer, ou alguém que você tem medo de amar, ou algum lugar que você tem medo de ir. Vai doer. Vai doer porque é importante.”
John Green. 

“Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia. Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.
Quem é você, Alasca? 

credit